sábado, 6 de julho de 2013

Câmara escura, o início de tudo.

Na câmara escura a luz que reflete dos objetos passa por um
orifício e se projeta, invertida, no lado oposto.


















A fotografia não é invenção de um único autor. Várias pessoas e descobertas, em diferentes épocas, contribuíram para que o processo fotográfico chegasse ao que é hoje. Mas sem dúvida a câmara escura foi a primeira e mais importante descoberta para isso. Os registros sobre o assunto são muito antigos. Atribui-se a Aristóteles os primeiros estudos sobre o fenômeno, isso no século IV antes de Cristo. A câmara escura é um fenômeno natural, que nada mais é do que um simples orifício onde a luz, que ilumina determinado objeto, passa projetando essa imagem invertida do lado oposto, se houver um ambiente escuro. Isso acontece na própria natureza: lembro-me que em casa havia um quarto que projetava na parede, através de uma pequena fenda na porta, a imagem invertida de galhos e árvores existentes no quintal. Isso em estações e horários bem específicos do ano. Em toda máquina fotográfica, e também nas filmadoras, acontece esse fenômeno. Se hoje ainda causa surpresa pra muita gente deparar-se com "o filme de ponta-cabeça" da câmara escura, fico imaginando antigamente, quando ainda não havia conhecimento suficiente para explicar o fenômeno. Nas oficinas de fotografia que realizo com as crianças sempre construo esses objetos para que entendam e vivenciem essa experiência. A câmara pode ser feita de muitas formas, mas a que melhor impacto provoca, tanto em crianças como nos adultos, é a Câmara Escura Gigante que construí para o projeto Conhecer para Conservar, realizado pelo IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas. Nessa câmara as pessoas entram em seu interior e podem constatar o que ocorre dentro de toda máquina fotográfica. É mágico! Pena ser tão trabalhoso montar e desmontar tudo depois.

Os pintores, de diferentes épocas, se utilizaram desse objeto para auxiliar na execução de desenhos e pinturas. Existem notas sobre o assunto feitas por Leonardo da Vinci em 1797, e o cientista Giovanni Della Porta publicou, já em 1558, uma descrição detalhada da câmara escura e seus usos. Mais tarde foram acrescidas outras invenções a ela, como a lente biconvexa junto ao orifício, introduzido pelo cientista Giralamo Cardano em 1550. Com isso aumentou muito a nitidez da imagem, sem perder a escuridão necessária para uma boa visualização. O pintor David Hockney, autor de um livro muito bacana chamado O Conhecimento Secreto, realizou extensa pesquisa comprovando a influencia da câmara escura, das lentes e dos espelhos utilizados por artistas como Caravaggio, Velásquez, Ingres, entre outros, na formação estética de seus trabalhos. Essas lentes foram também um avanço importante para o desenvolvimento da fotografia. Abaixo fotos e um vídeo da câmara escura gigante do Garatuja. Por fora ela foi baseada na máquina fotográfica Kapsa, fabricada no Brasil nos anos cinqüenta. Para saber mais click aqui ou aqui.




Nenhum comentário:

Postar um comentário